Crise de ansiedade: saiba o que é, quais são os sintomas e as possíveis causas

O Brasil é um dos países com o maior número de casos no mundo; saiba as causas desse mal

21 de março de 2023 - às 16h56 (atualizado em 31/8/2023, às 11h38)

Mulher com aparência triste com a mão no cabelo sentada no peitoril da janela
Crédito:

Envato

Escrito por

Em meados de 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) apontava que o Brasil se tornou o país com maior número de pessoas com ansiedade diagnosticada no mundo. O número chegava a 9,3% da população brasileira, cerca de 18,6 milhões de pessoas.

 

Durante a pandemia, a maioria dos países reportou um aumento entre 25% e 30% nos casos de ansiedade e depressão. No Brasil, essa marca chegou a incríveis 80%, segundo pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), incluídos novos casos e agravamento de quem já tinha o diagnóstico.

 

Além disso, um estudo realizado pelo Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), mostra que 75% dos casos de transtornos como ansiedade, fobias, hiperatividade e déficit de atenção em adultos, começam na infância.

 

Uma reunião decisiva de trabalho, uma entrevista de emprego ou mesmo a proximidade de uma viagem de férias são situações que geram muita expectativa. Para muitas pessoas, é comum sentir ansiedade em momentos como esses. Porém, quando isso se torna frequente e passa a atrapalhar as tarefas do dia a dia, a ponto de provocar imobilidade, está na hora de procurar um especialista. O transtorno de ansiedade generalizada ou TAG, como também é conhecida esta patologia, vem se tornando cada vez mais comum. Conheça as causas e os sintomas desse transtorno.

 

O que é ansiedade?

 

É um processo natural do nosso corpo diante de situações do cotidiano, uma reação do organismo ao ambiente, ameaça ou situação a ser superada. Em níveis normais, ela até ajuda as pessoas a se prepararem para determinados acontecimentos e conflitos futuros, mas a ansiedade passa a ser uma patologia quando afeta a rotina e prejudica a saúde física, mental e emocional da pessoa.

 

Para Alana Tanaka, psicóloga clínica, pós-graduada em psicologia hospitalar e pós-graduanda em psicoterapia psicanalítica, a ansiedade é o medo de que aconteça algo que trará prejuízos. “Ela pode ser comum e até esperada em situações de risco iminente, como por exemplo, sentir medo frente a um assalto à mão armada. É esperado que a pessoa sinta-se com medo e ansiosa”, diz Alana.

 

Alana explica que a ansiedade se torna algo preocupante e é necessário buscar acompanhamento especializado, quando ela passa a ser exacerbada, um medo que não traz risco de vida concreto e persiste prejudicando a qualidade de vida do paciente e de pessoas próximas a ele. Termômetro do estresse da vida moderna, as exigências do trabalho é um dos motivos que mais levam pacientes à clínica da psicóloga. “Exemplo que é muito comum, é o paciente trazer pensamentos recorrentes de preocupações em não alcançar os resultados profissionais esperados”, conta a psicóloga.

 

O que é transtorno de ansiedade generalizada?

 

O Transtorno de Ansiedade Generalizada é considerado uma patologia e quando diagnosticado, significa que isso passou a ser prejudicial à mente e ao funcionamento somático de seu corpo. Sentimentos de angústia, desconforto, incerteza, perturbação e aflição são comuns em quem sofre de ansiedade e as preocupações e medos passam a se tornar constantes e, às vezes, até irreais. Quando esses sentimentos tomam conta da mente, podem gerar um descontrole e acarretar uma crise de ansiedade ou mesmo um ataque de pânico, sobrecarregando a pessoa de insegurança e medo paralisante.

 

O que é uma crise de ansiedade?

 

Segundo a psicóloga Alana Tanaka, a crise de ansiedade é um episódio que apresenta sintomas físicos, no qual o paciente expressa medo demasiado de que algo ruim irá acontecer, sem a presença concreta de um risco. Ela acrescenta que os sintomas podem variar e também se somarem. Alguns deles são: sensação de sufocamento, taquicardia, dormência, choro, tremores, diarréia, tensão motora, tonturas, formigamento, perda dos sentidos e perda da noção de onde se está.

 

Identificando uma crise

 

A crise de ansiedade é um estado psíquico, quando o corpo responde a uma carga de estresse liberando no organismo uma descarga de adrenalina e noradrenalina, que são hormônios e neurotransmissores. É o momento em que os sintomas de ansiedade se manifestam de forma muito intensa, podendo vir à tona todos de uma vez.

 

As crises costumam ser mais comuns em pessoas que possuem transtorno de ansiedade generalizada, transtorno de estresse pós-traumático, transtorno obsessivo-compulsivo e síndrome do pânico. Dificilmente ocorrem apenas uma vez, além disso, para cada pessoa, as crises são desencadeadas por diferentes tipos de situações, sejam elas de estresse ou de trauma, por exemplo. Essas circunstâncias podem acionar um gatilho emocional e acarretar no descontrole dessas emoções. É muito importante que após uma crise, a pessoa procure ajuda profissional.

 

Segundo Roberta Pioh Soares, psicóloga e neuropsicóloga, é muito provável que em algum momento da vida, a pessoa que não se trata do transtorno de ansiedade generalizada desenvolva depressão, uma das patologias que mais acomete a população mundial, apontada pela OMS como “o mal do século 21”.

 

Sintomas da crise de ansiedade

 

Os sintomas podem ser físicos e/ou psicológicos e, de forma geral, ocorrem por conta do aumento de adrenalina na corrente sanguínea. Eles são:

  • Palpitação;
  • falta de ar;
  • preocupação excessiva;
  • sensação de angústia e nervosismo;
  • dificuldade de concentração;
  • vontade de chorar;
  • sensação de garganta fechada;
  • sensação de afogamento ou de estar sufocando;
  • suor excessivo e frio;
  • sudorese nas mãos e pés;
  • tremores;
  • dor no peito;
  • tensão muscular;
  • insônia;
  • irritabilidade;
  • calafrios;
  • formigamento;
  • tontura;
  • sensação de desmaio;
  • enxaqueca;
  • náusea;
  • vômito;
  • fala acelerada;
  • agitação de pernas e braços;
  • vontade de roer as unhas;
  • boca seca;
  • hipersensibilidade no paladar;
  • desconforto abdominal;
  • sentimento de irrealidade;
  • sentir-se fora de si;
  • medo de perder o controle e enlouquecer;
  • medo da morte.

 

Causas das crises de ansiedade

 

Segundo Alanna Tanaka, as causas são múltiplas e subjetivas, incluindo fatores da história de vida do paciente, o ambiente em que vive e o seu sistema biológico.

 

“Os sintomas da ansiedade podem se manifestar através da irritabilidade, inquietação, sensação de estar no limite, dificuldade de tomar decisões, distúrbios de sono e preocupações desproporcionais à situação. Também vale ressaltar que, nem sempre a pessoa pode apresentar os sintomas de modo consciente, pois tende a agir buscando ter controle daquilo que lhe causa medo, como dobrar a intensidade de trabalho para alcançar a expectativa de resultado, o que é uma ideia fantasiosa de controle, pois tende a aumentar a ansiedade”, explica a psicóloga.

 

Situações estressantes

A perda de um familiar, estar sob pressão, precisar muito de um emprego, prazos apertados no trabalho, escola ou faculdade, dificuldades financeiras, problemas de relacionamento podem desencadear uma crise de ansiedade. Para algumas pessoas, lugares muito movimentados, transportes públicos, espaços fechados ou lugares altos também são fatores que podem levar a crises.

 

Grandes mudanças

O término de um relacionamento, formatura da escola ou faculdade, emprego novo, casamento, aposentadoria ou o nascimento de um filho.

 

Problemas de saúde

Descoberta de problemas como uma doença grave, por exemplo, é uma notícia impactante, que pode ser um gatilho e desencadear uma crise. Ainda há doenças como hipertireoidismo e arritmia cardíaca que podem colaborar para que uma crise ocorra.

 

Ter sintomas de doenças

Hipoglicemia ou Infarto, por exemplo.

 

Traumas emocionais

Da infância ou da vida adulta.

 

Cafeína em excesso

Consumo exagerado de café, chá preto ou verde podem desencadear uma crise.

 

Uso de drogas

Cocaína, anfetaminas e bebidas alcoólicas.

Outras vezes, as crises aparecem sem motivo aparente, apenas como consequência desse transtorno, ou como descarga de emoções acumuladas.

 

 

 

 

Consulte sempre um profissional sério! Aqui no Let’s Move! É possível encontrar um profissional perto de você ou on-line. Utilize a nossa busca!